Microsoft Road Show 2015 realiza hackathon e palestras de desenvolvimento de jogos em Curitiba

destaque

Participantes receberam 10 Lumias distribuídos em sorteio, desafios e melhores jogos desenvolvidos, além do certificado digital de participação

No sábado, 13, aconteceu o Microsoft Road Show na Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) em Curitiba, organizado pelo Centro de Inovação da Microsoft de Curitiba (MIC CWB) e a Signum Game Studio, com participação de mais de 70 pessoas que durante o dia aprenderam como desenvolver e também criaram jogos. A edição na capital paranaense foi a única que teve hackathon de games dos 10 Road Shows que aconteceram em diversas cidades pelo Brasil. 

“Iniciativas como essa são muito importantes para a fomentação da indústria de jogos no Brasil, elas ajudam a capacitar e melhorar o currículo dos jovens para o mercado de trabalho na área de jogos e aplicativos que é muito concorrido”, aponta Rafaela Costa, Gerente do MIC CWB e CEO da Signum Game Studio.

O evento trouxe os palestrantes Lucas Humenhuk e Fabricio Catae, ambos Evangelistas Técnicos na Microsoft, que abordaram assuntos de desenvolvimento de jogos, como utilizar a Unity até criação de elementos de um jogo. Além disso, em paralelo aconteceu a hackathon que permite os participantes de treinar suas habilidades criando games em um dia e receberem feedback dos avaliadores.

O tema da Hackathon do evento dado pelos palestrantes é o frio, aproveitando a inspiração do clima curitibano.

O tema da hackathon do evento dado pelos palestrantes é o frio, aproveitando a inspiração do clima curitibano.

“Nós decidimos deixar a edição em Curitiba como uma das últimas da temporada para fechar com chave de ouro, pois sabíamos que teríamos bom fórum e infraestrutura”, conta Diego Blanco, Gerente de Marketing de Audiências Técnicas na Microsoft Brasil, que também afirma que já estão preparando uma segunda leva de eventos para começar em julho.

“No próximo semestre queremos fazer Road Shows com mais duração e em mais cidades, além de abrir uma trilha de TI (Tecnologia da Informação) para profissionais com palestras e hands on labs”, revelou Blanco com exclusividade.

Programando em Família

Edison Rocha, estudante de Sistemas de Informação, e seu filho João Vitor Rocha, 12 anos, resolveram ter uma atividade pai e filho diferente, aprender a desenvolver jogos no Microsoft Road Show Curitiba. “Nunca paramos para desenvolver jogos, vimos esse evento como o lugar para descobrir por onde começar”,  conta o Edison, “incentivo ele, pois vi o interesse dele em jogos e resolvi ensinar ele a programar”, complemento dizendo que depois que terminar o curso de sistemas pretende fazer uma pós em jogos.

10

Edison e João Vitor Rocha, programando em família (da esquerda para a direita).

O evento

Os palestrantes começaram o Road Show separando e criando grupos entre os participantes que quiseram fazer os projetos da hackathon, destacando as pessoas que vieram sem grupo para criar novos. Depois de um tempo para brainstorm de ideias de Gameplay, o palestrante Fabrício Catae, Técnico Evangelista, passou o básico sobre desenvolvimento de assets (arte, som e outros componentes) de jogo abordando Unity, Paint.Net e Blender para os participantes poderem começar a construir.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Após o lanche e mais poucas horas para a seleção dos itens a serem utilizados nos projetos o palestrante Lucas Humenhuk, Técnico Evangelista, demonstrou de forma mais aprofundada como desenvolver um jogo no Unity. Assim, os participantes aprenderam como inserir os assets dentro do projeto, utilizar a interface da engine, prefabs, criar e colocar scripts.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Depois do almoço e mais algumas horas para desenvolvimento Fabrício Catae voltou a falar para os participantes, abordou sobre os Shaders – tipo de programa que cria efeitos especiais (como, por exemplo, poderes, neve, fogo e outros) – explicando a interação do CPU e GPU com o DirectX que pode realizar os efeitos via Input Assembly (IA), Vertex Shader (VS), Pixel Shader (PS) ou Output Merger (OM).

Também falou sobre a diferença entre o uso de CPU do Direct X 11 e 12, o segundo precisa utilizar a metade do que o antecessor, deixando o game mais leve para jogar. Para demonstrar o que falou utilizou um trecho vídeo de apresentação do Xbox explicando o jogo Witch que em apenas uma cena tem mais de 63mil polígonos utilizando Pixel Shader e roda liso com uma aparência muito realista. Utilizando o Unity exemplificou como é a criação de um Shader 3D e 2D dentro da engine, criando fogo para um item 3D, neve para um jogo 2D e outros.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Em seguida foi dado tempo para os participantes terminarem os seus jogos da hackathon até o fim do dia, apenas tendo pausas  para  dois desafios valendo um dos celulares cada e distribuição de 50 camisetas do evento e almofadas Microsoft. Os outros Lumias XL 640 foram distribuídos ao final do Microsoft Road Show para as equipes que tiveram melhor desempenho nas categorias: gameplay, utilização do Unity e assets.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Equipe Signum